Arquivo da categoria: tecnologia

Batimento cardíaco substituirá senhas em smartphones

batimentocardiaco

A impressão digital, o reconhecimento facial e a análise da íris são as formas mais conhecidas de identificação biométrica. Há, contudo, várias outras, inclusive a frequência do batimento cardíaco de uma pessoa. A start-up canadense Bionym desenvolveu uma pulseira capaz de realizar um eletrocardiograma (ECG) que serve para identificar seu usuário. A ideia é que essa pulseira, batizada de Nymi, substitua a utilização de senhas por seu portador no uso de smartphones, tablets, computadores, carros e até terminais de pagamento e caixas eletrônicos.

“A vantagem da autenticação via ECG é que este não deixa rastros por aí, como a impressão digital. E a frequência cardíaca não pode ser capturada a distância, ao contrário de um rosto ou mesmo da íris. Afinal, é um sinal interno. Além disso, é preciso que a pessoa esteja viva”, compara Andrew D’Souza, CEO da Byonim, em entrevista por telefone com MOBILE TIME.

A pulseira vem com dois eletrodos, um na parte interna e outro na parte externa. Ao pô-la no pulso, o usuário deve colocar o dedo indicador da outra mão sobre o eletrodo externo, para fechar um circuito e permitir a leitura do seu batimento cardíaco naquele momento. A partir daí, a Nymi passa a enviar sua identidade continuamente por meio de Bluetooth Low Energy (BLE) para os aparelhos ao redor, o que permite a autenticação via proximidade. Como a autenticação é contínua, o portador permanece identificável enquanto estiver usando a pulseira. Assim, não é preciso botar o dedo indicador no sensor toda vez que quiser se identificar. Ao retirar a pulseira, esta para de enviar a identificação. Em outros métodos de biometria é preciso fazer a leitura a cada autenticação – e em muitos casos mais de uma vez, pois nem sempre os sensores capturam os dados corretamente na primeira leitura. A Nymi é resistente a água e sua bateria dura cerca de uma semana. A recarga é feita via porta USB.

A Nymi possui também um sensor de movimento. Isso permite que sejam criados comandos com gestos associados à autenticação por ECG. Por exemplo, o porta-malas do carro do usuário poderia ser aberto quando ele chegasse perto e fizesse um determinado gesto com o pulso, como mostra o vídeo de demonstração da tecnologia. Se outra pessoa fizesse o mesmo gesto perto do carro, nada aconteceria, pois não haveria autenticação, mesmo que ela também usasse uma Nymi.

As primeiras aplicações a serem disponibilizadas comercialmente junto com o lançamento do produto serão o desbloqueio de smartphones, tablets, computadores de mesa e laptops dos sistemas operacionais Android, iOS, Mac OS e Windows. Em vez de digitar uma senha na tela de um smartphone, por exemplo, bastará o usuário estar vestindo a Nymi. A autenticação por batimento cardíaco também será oferecida por alguns gerenciadores de senhas que firmaram parceria com a Bionym, informa D’Souza. Paralelamente, a empresa está conversando com fabricantes de carros e bancos para a realização de provas de conceito. Além disso, até o fim de julho será disponibilizado gratuitamente um SDK para desenvolvedores. Segundo o executivo, mais de 7 mil desenvolvedores se cadastraram no site da Bionym interessados em receber o SDK.

A Nymi será lançada comercialmente até o final do ano. Por enquanto, está disponível para pré-venda ao preço de US$ 79. Para distribuição internacional é cobrada uma taxa adicional de US$ 10. Até o momento foram vendidas cerca de 10 mil unidades, incluindo 100 para brasileiros.

Pesquisa

A pesquisa para o desenvolvimento da Nymi começou há nove anos, a partir de uma tese de pós-doutorado sobre biometria e criptografia na Universidade de Toronto. “O que inventamos foi uma nova forma de capturar o sinal para o ECG. Outras soluções podem conseguir bons resultados em laboratório, mas, no mundo real, com todo o ruído externo, é difícil”, explica D’Souza. A solução está devidamente patenteada, garante.

A leitura feita pela pulseira não tem o detalhamento de um ECG tradicional, logo, não serviria para fins de saúde, mas é suficiente para a identificação do portador. Pequenas variações do batimento cardíaco ao longo do dia não atrapalham a o processo. Porém, se o usuário tomar medicamentos para o coração ou tiver um ataque cardíaco, aí, sim, a autenticação não tem sucesso.


Soumix Rede social na internet para músicos na Revista Exame

Voltada para músicos, a rede social brasileira SouMix é diferente do MySpace porque é aberta à colaboração. As músicas podem ser criadas online por vários usuários.

Ou seja, além de ser um espaço para divulgar o trabalho, conhecer outros músicos, ouvir novas criações, os usuários da SouMix – criada pela Lector Tecnologia em Informática – podem ter suas criações editadas por outras pessoas. A ferramenta de edição pode ser restringida, assim o usuário mantém o controle sobre quem mexe nas suas criações.

soumix

http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/9-redes-sociais-de-nicho-voltadas-para-carreiras#5

Como funciona? Um usuário grava uma melodia em violão, por exemplo, e aguarda a colaboração de baixistas, bateristas, cantores e outros músicos interessados em ajudar na composição.

Para conhecer melhor o SouMix acesse: http://www.soumix.com.br

Para conhecer a empresa Lector Tecnologia acesse: http://www.lectortec.com.br


Leap Motion permite controle de computador por gestos no ar

Nível de precisão, segundo os criadores, é 200 vezes maior do que a tecnologia disponível hoje

Controlar qualquer computador apenas com gestos é a promessa do Leap Motion. O dispositivo, que deve chegar oficialmente ao mercado em 2013, funciona como um sensor de movimentos, podendo substituir teclado e mouse e oferecer precisão de centésimos de milímetros.

 
O Leap Motion funciona conectado a uma entrada USB e é baseado na tecnologia Natural User Interface (NUI), que captura os gestos do indivíduo e os transforma em comando, e permite ao usuário operar um dispositivo de maneira mais intuitiva. Desenvolvido nos últimos quatro anos, o gadget detecta e distingue o movimento de todos os dedos das mãos ou de objetos, como lápis e canetas. Segundo os criadores, o nível de precisão é 200 vezes maior do que nas tecnologias já existentes, propiciando um espaço de interação completamente em 3D.

 

Os usuários podem utilizar a ferramenta para navegar por páginas na web, ou até fazer desenhos ricos em detalhes, incluindo a manipulação de modelos em 3D, como casas e carros. Os idealizadores ainda apostam na aplicação do Leap Motion em diversas áreas, como na criação de jogos ou de ambientes de realidade virtual, ou até em usos mais específicos e complexos, como na medicina. Será possível também conectar mais de um dispositivo, aumentando a área de interação. De acordo com a empresa, a tecnologia é pioneira em trazer controle por movimentos a um computador desktop.

O produto é compatível com os sistemas operacionais Windows 7 e 8 e Mac OS X (suporte para Linux está na programação). A pré-venda já começou: um número limitado de Leap Motions foi disponibilizado, e quem quiser reservar deve solicitar no site da empresa. As entregas estão previstas para iniciarem em fevereiro de 2013. O aparelho vai custar US$ 69,99 (encomenda internacional requer US$ 12,99 adicionais para a entrega). Kits especiais para desenvolvedores estão sendo distribuídos gratuitamente para alguns dos 26 mil inscritos. A intenção da empresa é que colaboradores criem aplicativos que demonstrem o potencial utilização do gadget.

Fonte: Tecnologia. Terra

Conheça a plataforma de webconferência Lector Live e reduza tempo e custo em seus eventos, treinamentos, apresentações, suporte. Acessewww.lectortec.com.br e entenda porque grandes empresas adotaram a plataforma de comunicação a distância Lector Live.


Recife sedia projeto pioneiro de ensino musical a distância

eMasterclass ofecerá aulas para instrumentistas de cordas pela internet. Ainda há vagas no projeto, que contará com professores estrangeiros.

Acontece nesta sexta-feira (16), no Recife, a aula inaugural de um projeto pioneiro no Nordeste que promove o ensino musical a distância para instrumentistas de cordas: o eMasterclass. Até junho, os participantes terão aulas de aperfeiçoamento técnico por meio de videoconferências pela internet, sob a batuta de professores da Rudi Scheidt School of Music de Memphis, nos Estados Unidos, e Conservatório Carl Nielsen, da Dinamarca. As turmas são formadas por integrantes da Orquestra Criança Cidadã, mas há vagas para alunos ouvintes. A inscrição é gratuita.

Produzido pela Virtuosi Sociedade Artística e aprovado pelo Funcultura de 2011, o eMasterclass é inspirado em programas similares realizados em todo o mundo. “Aulas através de videoconferência já existem, mas um curso de longa duração feito pela internet é a primeira vez que eu vejo, pelo menos, aqui no Nordeste. Quem sabe até no Brasil? Lá fora existe, mas não de forma muito regular”, diz a idealizadora e integrante da coordenação do projeto, Ana Lúcia Altino.

O curso é para jovens músicos se aperfeiçoarem e receberem, de forma intensiva, uma orientação didática com professores e artistas experientes. O projeto oferece aula prática de instrumentos de cordas, abordando os vários aspectos técnicos e musicais da execução de cada um. “É claro que vamos esbarrar em alguns probleminhas técnicos. O som talvez não seja o melhor. Mas eles vão ver e ouvir, em tempo real, opiniões de pessoas reconhecidas, com muita experiência, que provavelmente nunca viriam aqui para isso”, afirma Ana Lúcia Altino.

Para ela, o sistema em duas vias permite ao aluno ver e ouvir os professores, que, por sua vez, mantêm ouvidos e olhos atentos aos fraseados e postura daqueles, entre outros benefícios, como tempo e comodidade. No entanto, ela lembra que as aulas via internet são um reforço para aquilo que os estudantes já estão fazendo. “Não é um substituto para as aulas convencionais. Nós abrimos essas turmas para gente que já toca e pode entender a linguagem dos mestres, para poder aproveitaram o máximo deles”, comentou.

As aulas serão ministradas na sede da Orquestra Criança Cidadã, no Quartel do Cabanga. São duas turmas pela manhã e tarde, com carga horária de oito horas semanais. O projeto contará com a participação dos professores Soh-Hyun Park (violino), Rafael Altino (viola), John Chiego (contrabaixo) e Leonardo Altino (cello).

 


Cerca de 20% dos trabalhadores mundiais trabalham de casa

Cerca de um em cada cinco trabalhadores mundiais, especialmente no Oriente Médio, América Latina e Ásia, trabalha de casa frequentemente, e quase 10% deles trabalham de casa todos os dias, de acordo com uma nova pesquisa Ipsos/Reuters.

Trabalhar de casa é especialmente popular na Índia, onde mais de metade dos trabalhadores o fazem; na Indonésia, o índice é de 34 por cento; o México registra 30%, seguido por Argentina, África do Sul e Turquia.

No entanto, essa opção de trabalho é menos popular na Hungria

, Alemanha, Suécia, França, Itália e Canadá, onde menos de 10 por cento das pessoas trabalham de casa.

“A história na verdade gira em torno dos mercados emergentes, e não sei se o Ocidente está a ponto de desenvolver tendência parecida”, disse a gerente de pesquisa da Ipsos Global Public Affairs, Keren Gottfried, que conduziu o levantamento.

“Mas muitas das vantagens são claras. A Europa e a América do Norte concordam que trabalhar de casa é uma ótima maneira de reter mulheres na força de trabalho. Isso causa menos estresse por reduzir a necessidade de deslocamento e oferece melhor equilíbrio entre a vida profissional e pessoal”, disse ela em entrevista.

A pesquisa trata de profissionais que trabalham longe de seus escritórios, comunicando-se por telefone, e-mail ou em webconferências, quer todos os dias, quer ocasionalmente.

Os avanços da tecnologia e das telecomunicações permitiram que as pessoas trabalhem de forma efetiva e eficiente sem que precisem estar o tempo todo em suas mesas no escritório. A tendência cresceu e parece que persistirá, já que 34% dos trabalhadores que recorrem a esse método dizem que o fariam em tempo integral, se pudessem.

Entre os pesquisados, 65% disseram que trabalhar de casa é produtivo porque oferece ao trabalhador mais controle sobre sua vida profissional.

“Isso dá à pessoa a oportunidade de trabalhar quando é mais produtiva”, disse Keren. “Você trabalha quando sabe que pode executar seu trabalho melhor.”

A Ipsos entrevistou 11.383 pessoas online em 24 países: África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Hungria, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Polônia, Reino Unido, Rússia, Suécia e Turquia.


Webconferência é a sua melhor solução!

Não importa se você precisa lançar um produto novo, realizar uma reunião com participantes em várias localidades ou oferecer treinamento para funcionários que estão fora da empresa – organizar uma webconferência pode ser a melhor solução.

À medida que as empresas crescem e se espalham pelo país e pelo mundo inteiro, elas percebem uma necessidade crescente de conectar os funcionários em várias localidades para reuniões interativas ou sessões de treinamento – e para se comunicar fora da empresa com acionistas, clientes e fornecedores distantes.

Uma webconferência é uma reunião virtual em que pessoas de diferentes localidades trocam informações em tempo real, através da Internet ou da intranet da empresa. Ela pode ter o formato de uma reunião na sala de conferências que é transmitida online.

As webconferências podem reunir as pessoas com a mesma eficiência de uma teleconferência. No entanto, organizar conferências pela Internet oferece uma ampla gama de opções de comunicação, além da fala. Elas podem incluir opções multimídia, como slides e vídeos, além de recursos interativos, como resposta imediata para pesquisas online, compartilhamento da tela e sessões de perguntas e respostas ao vivo.

Uma webconferência pode ajudar uma empresa a funcionar com mais eficiência e a economizar dinheiro.

Acesse nosso site e descubra o universo online que lhe espera: http://www.lectortec.com.br/


A maior competição do mundo em gestão estratégica de empresas usa o Lector Live

O Lector Live é a ferramenta de webconferência utilizada na maior competição em gestão estratégica de empresas, o Global Management Challenge para estudantes universitários de todo país.

A competição Global Management Challenge (GMC) que é o resultado da parceria entre pesquisadores da Universidade de Strathclyde – Glascow (Escócia), empresa de Simuladores de Gestão (SDG) e o Jornal Expresso (Portugal), desde 2009 é a Ser Total a responsável pela organização da mesma no Brasil.

O Brasil foi o primeiro país a integrar a versão global da competição, tendo contado ao longo de sua história com o patrocínio de empresas como Accenture, Microsoft, Santander, ThyssenKrupp, EDP, Delloitte, Itaú, Unibanco, Oi e Unidas.

Através da comunicação on-line e interativa do Lector Live são realizadas experiências inovadoras que encurtam distâncias e envolvem, além do Brasil, unidades da Argentina, Chile e México, tendo total de 90 pessoas, como a ferramenta é multilínguas esses eventos são realizados no idioma Espanhol.

O Sr. Marcelo Egeá, Diretor da Ser Total (organizadora da competição) relatou que “O Lector Live agiliza o processo de aprendizagem, permitindo um melhor custo benefício para o cliente, reduzindo os custos de treinamento em torno de 15 a 20% Também permite gravações, criando um histórico para consulta de outros interessados.

Pensando em oferecer informações úteis sobre carreira, crescimento e oportunidades profissionais, o Global Management Challenge Brasil sempre realiza palestras virtuais utilizando o Lector Live através do projeto GMC Carreiras.

Os palestrantes são profissionais experientes, envolvidos com as questões de atração e desenvolvimento humano, em empresas e organizações. O participante pode ouvir diretamente da fonte o que pensam e como trabalham estes profissionais, tendo a oportunidade de fazer perguntas e tirar suas dúvidas em tempo real.

Alguns dos palestrantes são pessoas como o Gerente de Recursos Humanos da Locaweb o Sr. Celso Paulon, que falou sobre o tema “Fazendo carreira no mercado de Internet” e a Sra. Eliane Dilinski, responsável pela plataforma Caminhos & Escolhas do Santander Brasil.

Marcelo Egeá concluiu relatando que “Além do Lector Live ser uma ferramenta estável e fácil de usar, a Lector sempre nos deu todo o apoio e suporte necessário, de forma rápida e descomplicada.”