Arquivo da tag: webconferência

Lector Live: Da necessidade uma solução eficaz

evolucaoMarca2010

 

 

 

SCI, empresa catarinense que se destaca por oferecer soluções diferenciadas em tecnologia para o mercado contábil, iniciou suas atividades em 1991. Percebendo a necessidade de o mercado contábil informatizar seus dados, a empresa foi se especializando na criação de software para o segmento. Hoje, a SCI conta com mais de seis mil clientes ativos e 30 mil usuários.

Com a grande demanda de clientes e a necessidade de capacitar com mais eficiência e com menor custo, a SCI optou pela capacitação on-line, utilizando a plataforma de comunicação a distância Lector Live. Desde que a empresa adotou a plataforma, Elinton Marçal – Diretor de Tecnologia e Marketing – afirma que a SCI conseguiu encurtar distâncias e capacitar pessoas de todo o Brasil, o que antes seria praticamente impossível.

Confira a entrevista que Elinton Marçal cedeu ao Blog Mundo a Distância.

Blog – Para quais finalidades sua empresa utiliza o Lector Live?

SCI – Utilizamos o Lector Live para demonstrações, treinamentos de parceiros e clientes.

Blog – Quantas pessoas o utilizam?

SCI – Estamos apenas engatinhando no projeto, treinamos em média 80 pessoas de uma única vez, mas por mês são em torno de 1000 pessoas.

Blog – O que mudou para a empresa com a utilização da ferramenta?

SCI – Mudou muita coisa, reduzimos custos e ganhamos na velocidade da informação.

Blog – Houve diminuição de gastos? É possível quantificar?

SCI – Diminuiu muito, é impossível quantificar, pois agora fazemos muito mais por muito menos investimentos. Estadias, Transporte, Alimentação e Horas Extras são os principais gastos que reduzimos.

Blog – De que outras formas a sua empresa foi beneficiada com a utilização do Lector Live?

SCI – Foi muito beneficiada, pois encurtamos distâncias, treinamos gente do Brasil todos via EAD, antes era impossível.

Blog – A ferramenta supre as necessidades da sua empresa?

SCI – Sim, perfeitamente, estamos muito felizes com a Lector.

Blog – Já utilizou alguma customização especial da ferramenta? Qual a modificação principal?

SCI – Somos clientes novos, seis meses, usamos somente o básico, mas estamos encantados com a ferramenta.

Blog – Como você avalia o suporte e o atendimento ao cliente realizado pela Lector Tecnologia?

SCI – Excelente, sempre muito atenciosos. Impressionante!

Conheça a plataforma de webconferência Lector Live e reduza tempo e custo em seus eventos, treinamentos, apresentações, suporte. Acesse www.lectortec.com.br e entenda porque grandes empresas adotaram a plataforma de comunicação a distância Lector Live.

Anúncios

Aulas de Universidades Federais serão disponibilizadas na internet

Projeto deve ser inaugurado ainda nesse primeiro semestre

shutterstock_106822538

O Ministério da Educação pretende disponibilizar na internet vídeos com palestras e aulas de universidades públicas federais.

O projeto, batizado de Universidade Livre, deve começar funcionar ainda no primeiro semestre de 2013, anunciou o ministro Aloizio Mercadante, na última quarta-feira, 16, em Brasília.

Segundo ele, a iniciativa não substitui a universidade nem a certificação, mas ajuda a reforçar o processo de aprendizagem.

“Desta forma, você poderá assistir a aula de qualquer professor de qualquer universidade [federal] do Brasil. Serve para complementar o curso que está fazendo e isso vai multiplicar a capacidade pedagógica e de aprendizagem”, disse Mercadante.

As universidades terão autonomia para decidir se querem ou não participar do projeto. Segundo o ministro, o assunto já foi discutido com reitores e foi recebido com “grande simpatia”.

“Nossa expectativa, se tudo der certo, é que ao longo deste primeiro semestre de 2012 a gente possa concluir o estudo da plataforma tecnológica para verificar o equipamento mais adequado e a parceria com as universidades”, declarou.

Ainda na última quarta-feira, o MEC promoveu um seminário sobre educação digital que teve a participação do educador norte-americano Salman Khan, autor de mais de 3,8 mil videoaulas, com 200 milhões de acessos na internet. No evento, Khan defendeu o uso da educação digital como forma de democratizar o acesso ao ensino de qualidade. “O conteúdo ao qual o filho dos mais ricos tem acesso pode ser dado aos menos servidos de educação. Queremos tornar a educação não em algo escasso, mas em um direito humano que todas as pessoas possam ter”, disse.

Graduado pelo renomado Instituto de Tecnologia de Massachusets (MIT, na sigla em inglês) e com MBA pela Universidade Harvard, Khan trabalhou no mercado financeiro antes de se tornar conhecido no mundo virtual por postar aulas sobre matemática, física, biologia, química e outras disciplinas, o que o levou a criar uma organização acadêmica – a Khan Academy. Na avaliação de Khan, ferramentas tecnológicas otimizam o tempo dos professores e contribuem para ampliar o contato entre aluno e professor e estimulam o aprendizado individualizado.

Cerca de 400 aulas do professor foram traduzidas para o português pela Fundação Lemann, organização sem fins lucrativos. O material deverá integrar o conteúdo dos tablets a serem distribuídos neste ano pelo MEC aos professores do ensino médio, informou Mercadante. As aulas podem ser acessadas gratuitamente na internet.

“É mais uma opção que o professor tem para ver boas aulas, práticas didáticas exitosas e isso vai enriquecer o repertório dele. Se o professor e a rede municipal ou estadual tiverem interesse de utilizar de uma forma mais intensa, o MEC está disposto a apoiar, não só essa plataforma, mas outras similares”, explicou o ministro.
Fonte: Olhar digital

 

Conheça a plataforma de webconferência Lector Live e reduza tempo e custo em seus eventos, treinamentos, apresentações, suporte. Acesse www.lectortec.com.br e entenda porque grandes empresas adotaram a plataforma de comunicação a distância Lector Live.


Cabines com videoconferência são os consultórios médicos do futuro

O HealthSpot Station seria colocado em hospitais e estabelecimentos cotidianos.
on-line (Fonte da imagem: Reprodução/Dvice)

O consultório do dentista ainda é mais odiado, mas muita gente não gosta nem de passar perto de médicos ou hospitais para consultas que exigem um bom tempo na sala de espera. Mas e se você pudesse pedir um diagnóstico rápido ou apenas conversar com um profissional da saúde?

É essa a proposta da HealthSpot Station, uma cabine que serve como uma ligação direta entre paciente e médico. Dentro dela, é possível realizar videoconferências com profissionais da saúde e até fazer diagnósticos rápidos com o uso de aparelhos na cabine, desde estetoscópios (para medir batimentos cardíacos) até equipamentos mais específicos, para identificar lesões na pele. Após o uso, ela é esterilizada para receber o próximo paciente.

Do outro lado, o médico obtém as informações dos aparelhos e é capaz de formular um diagnóstico.  A ideia é que as cabines sejam colocadas em centros de atendimento médicos que costumam ficar cheios, em farmácias e até outros estabelecimentos não relacionados com a saúde, como supermercados.

Testes em Columbus, no estado norte-americano de Ohio, mostram que a cabine ajuda a otimizar consultas e pronto-atendimentos. Agora, em parceria com uma rede de produtos médicos, a fabricante vai enviar unidades para um hospital infantil em Miami.

Fonte: Tecmundo

 

Conheça a plataforma de webconferência Lector Live e reduza tempo e custo em seus eventos, treinamentos, apresentações, suporte. Acesse www.lectortec.com.br e entenda porque grandes empresas adotaram a plataforma de comunicação a distância Lector Live.


Ensino à distância: isso ainda vai ser grande no Brasil

Até 2022, a expectativa é que cerca de 1,2 milhões de brasileiros estejam matriculados em universidades online, segundo estudo

size_590_mulher-computador

São Paulo – Não faz muito tempo que cursos online eram vistos como formação, no máximo, complementar àquela tradicional. Hoje já não é mais o caso. Tanto que algumas das melhores universidades do mundo oferecem cursos de MBA à distância – alguns deles dão aos alunos que graduarem diplomas exatamente iguais àqueles dos alunos de aulas presenciais.

Nos Estados Unidos, o número de MBAs e cursos complementares que podem ser feitos pela internet cresce, mas no Brasil ele cresce em uma proporção ainda maior. Por aqui, segundo dados do relatório “Manual do Ensino à Distância no Brasil” feito pela HSBC Global Research, cerca de 12% dos alunos matriculados em um curso particular de ensino superior eram do ensino à distância. Já nos EUA, o número não chegava a um terço disso.

A expectativa para 2022 é que cerca de 1,2 milhões de pessoas estejam matriculadas em cursos privados de ensino à distância. Isso representaria 16% do total de matrículas no mercado, e um crescimento médio anual de 3,8% até lá.

O segmento tende a crescer, de acordo com o relatório, por conta das oportunidades que oferece. Segundo os especialistas do HSBC Global Research, o potencial de crescimento se dá por causa da “conveniência e custo mais baixo comparado aos cursos tradicionais”.

Alunos mais velhos, por exemplo, que se formaram do ensino médio há anos, são um grande grupo potencial para ensino à distância. O avanço nas tecnologias da área (com chats ao vivo, produção audiovisual e softwares para provas e exames, por exemplo) também colabora para a disseminação desses cursos e para maior aceitação deles.

Fonte: Exame.Abril

Conheça a plataforma de webconferência Lector Live e reduza tempo e custo em seus eventos, treinamentos, apresentações, suporte. Acesse www.lectortec.com.br e entenda porque grandes empresas adotaram a plataforma de comunicação a distância Lector Live.


Brasil é o quarto mercado mundial de mobilidade

A GSMA Association divulgou uma pesquisa que aponta o Brasil, o 4º maior mercado móvel do mundo, com mais de 260 milhões de conexões móveis ativas, sendo 60 milhões em banda larga móvel. Mantendo as atuais taxas de crescimento, o País chegará a 2014 com 135 milhões de conexões em banda larga móvel.

O crescimento virá da oferta de novas tecnologias e serviços, como NFC, saúde móvel, educação móvel e comércio móvel. “O Brasil representa hoje uma oportunidade real para que as tecnologias móveis entreguem mais benefícios socioeconômicos ao País”, disse o CEO da GSMA, Franco Bernabè.

O estudo aponta que, com a massificação do uso de tablets e smartphones no País, o tráfego por usuário deverá crescer 83% ao ano entre 2008 e 2020, com previsão de um parque de 75 milhões de smartphones em operação em 2016. Na mesma medida, a demanda por banda larga móvel deverá crescer 19 vezes entre 2011 e 2016.

Copa e Olimpíadas
A realização da Copa do Mundo em 2014, e das Olimpíadas em 2016, serão grandes incentivadores no crescimento da demanda. A Copa do Mundo, por exemplo, deverá gerar cerca de 1 milhão de conexões em roaming criando, durante dois meses, um tráfego 300 vezes maior que o normal.

As Olimpíadas não ficarão atrás. O estudo da GSMA aponta que as Olimpíadas de Londres, realizadas este ano, geraram um tráfego equivalente a 60 GB por segundo durante sua realização e este volume deverá crescer consideravelmente nos próximos quatro anos.

Fonte: http://convergenciadigital.uol.com.br

A Lector Tecnologia é uma empresa que busca constantemente por novas tecnologias e novas ferramentas para melhorar cada vez mais a comunicação das empresas e das pessoas. Com essa filosofia a empresa está com uma a sua versão nova versão em HTML5 onde você poderá realizar interações a distância pelos seus dispositivos móveis (tablets e smartphones).

Conheça a plataforma de webconferência Lector Live e reduza tempo e custo em seus eventos, treinamentos, apresentações, suporte. Acesse www.lectortec.com.br e entenda porque grandes empresas adotaram a plataforma de comunicação a distância Lector Live.


Comércio via aparelho portátil deve movimentar R$ 2 bilhões em 2013

Em estudo divulgado pela Hi-Mídia, foi revelado que as compras online realizadas por meio de dispositivos móveis devem atingir R$ 2 bilhões em 2013, à frente dos R$ 132 milhões registrados na primeira metade de 2012, segundo dados do e-bit. A pesquisa foi realizada pela Hi-Midia em parceria com a M.Sense, empresa especialista em estudos de mercado.

O levantamento, que ouviu 1.796 pessoas das cinco regiões do país, também aponta que, dos entrevistados, 45% possuem smartphones e 16% são proprietários de tablets. Do total, 72% são do gênero masculino, os quais foram divididos em classe A (28%), classe B (60%) e classe C (28%). A maior parte localiza-se na região sudeste e tem entre 30 e 39 anos de idade (34%).

A proporção que afirma no Brasil, ter comprado ao menos uma vez por meio de aparelhos portáteis, é bastante significativa. Segundo o documento, um em cada três usuários de smartphone ou tablet já praticou o m-commerce. Já 93% dos entrevistados disseram buscar informações e indicações sobre produtos e serviços através de dispositivos móveis. Além disso, 87% deixaram de comprar em uma loja física por conta de uma informação buscada em seu aparelho.

Entre os produtos já comprados pelos usuários móveis estão eletrônicos e informática (61%), ingressos (44%), eletrodomésticos (39%), conteúdo (38%) e CDs, DVDs e Blu-Ray (36%). As principais categorias não diferem significativamente das compras pelo “e-commerce” (a pesquisa se refere ao e-commerce como sendo o comércio online realizado por meio de computadores laptop e desktop, ao invés de compra e venda online em geral).

Para Julien Turri, CEO da Hi-Mídia, “Os smartphones e tablets são hoje ferramentas poderosas de consulta e embasamento para tomada de decisão de compra, mas ainda não são necessariamente o canal de compra. O m-commerce está em franca expansão, mas acreditamos que será algo complementar ao e-commerce e não que o substituirá”, diz. A pesquisa revelou que apesar de buscarem informações por vias móveis, 73% dos entrevistados ainda preferem finalizar a compra no computador e 13% na loja física.

Para Bruno Maletta, sócio da M.Sense e responsável pela pesquisa, a experiência de compra é diferente dos demais canais e deve ser explorada pelas empresas. “Quando bem utilizado, o m-commerce pode oferecer uma experiência de compra bastante sofisticada, via games ou aplicativos, tornando o processo mais divertido e atrativo”, diz. O uso da geolocalização para busca de pontos de venda (64%), recursos fotográficos (56%), comparadores de preço (39%) e leitores de código de barra (21%) já fazem parte do hábito de compra de grande parte dos usuários de internet móvel.

O estudo mostrou ainda que a segurança é um ponto importante na finalização de compras via dispositivos móveis. A maioria dos entrevistados revelou ter receio ao digitar o número do cartão de crédito em smartphones e tablets. O tamanho da tela também foi apontado como uma barreira para compras móveis. A melhoria na percepção dos serviços de internet móvel e novas tecnologias podem estimular ainda mais esta modalidade de compra.

Fonte: Ecommercenews

Conheça a plataforma de webconferência Lector Live e reduza tempo e custo em seus eventos, treinamentos, apresentações, suporte. Acesse www.lectortec.com.br e entenda porque grandes empresas adotaram a plataforma de comunicação a distância Lector Live.


Brasileiros são os que mais acessam a internet por smartphones, mostra pesquisa

Os brasileiros estão cada vez mais aficionados por tecnologia. Um estudo da Accenture divulgado nesta quarta-feira (10) revela que o Brasil e a África do Sul são os países que mais acessam a Internet por meio de dispositivos móveis, enquanto França, Alemanha e Finlândia estão entre os que menos acessam. O estudo consultou 17 mil pessoas de 13 países.

De acordo com a análise, os smartphones têm se tornado o meio primário para o acesso à rede em mercados emergentes e maduros, entre todas as idades, com o crescimento do smartphone como o meio mais popular de conexão.

Outro destaque é que o brasileiro é o que mais deseja adquirir um smartphone em um futuro próximo, com 78% de intenção (Rússia, 73%; México 61%; África do Sul, 57%, contra uma média de 40% em outros países). Entre os principais resultados do estudo estão:

  • 69% dos usuários de Internet acessaram a rede por um dispositivo móvel;
  • 61% usaram um smartphone, 37% um netbook e 22% um tablet;
  • 73% são homens e 66% são mulheres;
  • 58% usam por motivos pessoais, enquanto 20% para assuntos relacionados ao trabalho;
  • 45% das pessoas acima dos 50 anos utilizam a Internet móvel;
  • 62% acessam comunidades online, como o Facebook;
  • 46% já fizeram transações bancárias de seu dispositivo móvel;
  • 70% ainda tem preocupações em relação a segurança;
  • 78% tem interesse em serviços de cloud;
  • 36% já acessaram a Internet por meio de uma TV e 27% por meio de um console.

A pesquisa ainda faz uma análise de quais são as principais atividades dos internautas enquanto acessam a rede e diferenças de acesso por gênero e idades, entre os entrevistados. O material também aborda cinco tendências-chave no comportamento do consumidor, que tem implicação direta para as empresas de comunicação e outras indústrias.

Fonte: Administradores.com

Conheça a plataforma de webconferência Lector Live e reduza tempo e custo em seus eventos, treinamentos, apresentações, suporte. Acesse www.lectortec.com.br e entenda porque grandes empresas adotaram a plataforma de comunicação a distância Lector Live.